19 de novembro de 2014

Hanseníase


Dois mil anos já se passaram (segundo alguns relatos e estudos, porque sempre há controvérsia nesse caso) desde que Jesus habitou a Terra. Discussões à parte (e até nem pretendemos entrar na área religiosa), Jesus conseguiu dividir a humanidade em dois momentos, antes e depois de vir ao mundo. Sendo assim, temos Antes de Cristo, AC, e Depois de Cristo, DC.
Então, imagine: 20 séculos são bastante tempo, tomando como referência a expectativa de vida de um ser humano, que varia de 40 a 90 anos, dependendo do lugar onde vive e do estilo de vida. E imagine ainda se voltarmos mais tempo no passado do que vinte séculos.
Todo esse contexto é necessário para que você entenda como a doença de que iremos falar nesse artigo é antiga. A doença já foi documentada muito antes de Jesus, e na época de Jesus era famosa, tanto que muitos dos milagres de cura foram realizados em que pessoas com essa doença.
Estamos falando da Hanseníase, nome atual da doença que já recebeu outras denominações, que carregavam preconceito e medo. Hanseníase é o modo correto de se referir à lepra. Mas como ela conseguiu atravessar vários períodos da humanidade, sobrevivendo durante todo esse tempo? Descubra a seguir, lendo o artigo que preparamos para você.

A Hanseníase é causada por um microorganismo, sendo por isso infecciosa (que pode ser passada de pessoa para pessoa). Por isso, muitas pessoas ficam com medo de entrar em contato com pessoas portadoras da doença por medo de serem contaminadas.
A Organização Mundial da Saúde já esclareceu que a transmissão da Hanseníase é feita por meio da respiração. No entanto, vale ficar atento aos detalhes: assim que o tratamento é iniciado, a doença deixa de ser transmissível. Ou seja: se a pessoa descobriu que é portadora de Hanseníase, depois do início do tratamento pode voltar ao convívio familiar, sendo apta até para executar sua profissão.
Vale lembrar que a maior parte dos adultos são resistentes ao microorganismo que causa a Hanseníase. Por isso, infelizmente os casos atingem mais as crianças, que são infectadas quando há algum adulto contaminado por perto.

Os médicos costumam dizer que a Hanseníase possui um período de incubação longo. Isso significa que pode demorar para que a doença comece a causar problemas à pessoa. Por isso é importante consultar regularmente um médico e – em caso de qualquer suspeita – ir urgente ao hospital.
Por último, mas não menos importante, é bom que todos saibam que a Hanseníase possui cura. Antigamente (basta lembrar-se dos exemplos que conhecemos pela Bíblia), os portadores de Hanseníase eram segregados da sociedade, vivendo excluídos da família e da vida social da cidade. Atualmente, o tratamento pode ser feito em casa, durando de seis meses a um ano.

Dra Rafaela Salvato, dermatologista em Florianópolis SC - Hanseníase

Alergia na pele



Existem oito bilhões de pessoas no mundo e nenhuma delas possui uma impressão digital idêntica a de outra pessoa. Todas essas oito bilhões de pessoas possuem um código genético específico, que pode em alguns casos muito se parecer, mas que não são 100% idênticos.
Ou seja: cada indivíduo é um indivíduo. Mas – por incrível que pareça – apesar de sermos diferentes somos iguais em muitos quesitos. Talvez a natureza tenha se encarregado disso, para que pudéssemos nos ajudar e assim evoluirmos juntos. Já pensou quanto trabalho teriam os pesquisadores se precisassem descobrir a cura para uma doença que se manifesta de maneira diferente para cada um dos oito bilhões de humanos? Seria impossível, além de muito caro.

Então, a boa notícia é que somos parecidos em muitos aspectos, até nas doenças que nos acometem. Por exemplo: quem nunca sofreu com uma alergia, ao menos uma única vez na vida? Aquela alergia que faz coçar, incomoda e incomoda, irritando em alguns momentos?
Estima-se que quase todas as pessoas do mundo são alérgicas a algum componente. Pode ser ao ácaro ou ao pólen, como acontece na maioria dos casos, ou a algum objeto, animal ou alimento específico. Recentemente, em um simpósio de dermatologia, cientistas debatiam o caso da mulher que quase entrou em óbito devido ao fechamento das vias respiratórias, motivado pelo desencadeamento de uma reação alérgica a um tipo de planta muito raro, que é encontrado somente nas florestas de Madagascar e que nunca antes havia causado qualquer problema a um ser humano. Descobriram, posteriormente, que restos da semente da planta haviam sido transportados sem querer nas vestes de um nativo, que estava no avião onde a mulher passou mal.
Ou seja: alergias são imprevisíveis. Por isso, iremos explicar a você como se prevenir e como cuidar das alergias de pele, um dos tipos mais comuns de alergia. A alergia de pele acontece quando seu organismo pensa que alguma substância vai fazer mal a ele e, por isso, ele se defende. Para facilitar, pense assim: um moinho de vento não produz perigo a um cavaleiro, certo? Mas se o cavaleiro estiver com algum problema mental, ele pensará que o moinho de vento é um dragão, como na história de Dom Quixote.
E é assim que o corpo funciona: por algum desajuste, ele pensa que a poeira doméstica (por exemplo) é um veneno perigosíssimo e precisa combatê-la. Por isso é que, ao entrar em contato com o pó, algumas pessoas ficam com a pele vermelha e coçando.
Bem, não há cura para a alergia de pele. Existe tratamento, dos mais diversos tipos, envolvendo desde comprimidos e pomadas até vacinas para diminuir essa resposta desajustada do organismo.
Além do tratamento, outra dica é evitar entrar em contato com o que faz mal a você. Parece exagero, mas aos poucos você se adapta e a alergia de pele deixa de ser um grande incômodo. Em alguns momentos você até irá se esquecer dela. Apenas não se descuide, essa é a dica de ouro para manter afastadas as alergias de pele.

Clínica de Dermatologia em Florianópolis - Dra Rafaela Salvato Dermatologista - Alergia na Pele

Tratamentos Estéticos


Uma recente pesquisa que saiu nos jornais mais populares indicava – por região do país – em quais locais as mulheres mais frequentavam a academia, mantendo uma frequência regular nos treinos. O resultado – divulgado recentemente – mostrava que as mulheres de cidades com praia eram as que iam à academia sem faltar sequer um dia no mês.
O motivo é óbvio: em cidades onde mostrar o corpo é normal (basta lembrar dos biquínis usados nas praias), as mulheres querem deixar em dia a beleza. Ou seja: se as mulheres de outras cidades e regiões fazem o chamado “projeto verão” – plano de emagrecimento e exercício físico para estar com o corpo em dia nas férias de verão, enquanto as mulheres que vivem na praia precisam passar o ano inteiro em um “projeto verão”.
Citamos as mulheres porque – normalmente – elas são mais vaidosas do que os homens. É por isso que 65% dos pacientes em clínicas de dermatologia são mulheres. Os tratamentos estéticos são fortes aliados das mulheres, que querem cuidar do corpo e deixar a saúde em dia, 365 dias por ano.
Existe uma infinidade de tratamentos estéticos, dos mais simples e menos invasivos, aos mais complexos e com recuperação mais longa. Analise a seguir um deles, que as pessoas costumam perguntar com frequência ao médico, nas consultas.

O peeling químico é um tratamento estético que se popularizou nos consultórios dermatológicos e nas clínicas de cirurgia plástica. Esse Tratamento Estético deve ser sugerido por um médico dermatologista especialista e realizado em um ambiente correto, por um profissional qualificado.
Muitas pessoas – na maioria mulheres – procuram o Tratamento Estético do peeling químico para atenuar marcas que começam a aparecer depois de certa idade, marcas que são causadas por longos períodos de exposição ao sol sem protetor solar, rugas, marcas de expressão ou cicatrizes.
O nome peeling é originado do verbo inglês peel, que significa descascar. Ou seja: peeling químico é um Tratamento Estético que “descasca” a pele a partir de agentes químicos (ácidos presentes em cremes ou pomadas).
Para que você entenda melhor esse Tratamento Estético, basta lembrar de quando esquecemos de passar o protetor solar e nos queimamos na praia. A pele fica vermelha e – depois de uns dias – começa a descascar. É isso que acontece no peeling químico.
No entanto, é muito importante que você procure um médico para verificar qual a necessidade desse tratamento para o seu caso. Existem também várias restrições de saúde e vários cuidados específicos para cada tipo de pele, já que nenhuma pessoa é igual a outra. Não se esqueça de respeitar o período de recuperação, caso queira fazer o Tratamento Estético.
Por último, lembre-se sempre: melhor que qualquer tratamento Estético é viver com alegria e auto-confiança!

Dermatologia Estética Florianópolis - Dra. Rafaela Salvato Dermatologista - Tratamentos estéticos Florianópolis

Cirurgia Plástica


Em correntes filosóficas do Oriente existem muitos pensamentos que refletem a sabedoria de grandes mestres, que se dedicaram a tentar compreender o cosmos, os planetas, os animais e a vida. Entre esses pensadores que se dedicaram a entender a vida, muitos se destacam por belas frases, que refletem a consciência que conquistaram, em relação ao mundo que os cerca.
Mas não se preocupe se ainda não entendeu, porque explicaremos melhor. Em correntes religiosas orientais (se você estudá-las) encontrará muitos pensamentos sobre a forma com que devemos viver e cuidar do nosso corpo, para evitar arrependimentos futuros.
Podemos citar, por exemplo, uma frase que diz: “seu corpo é um diamante bruto. É preciso lapidá-lo”. Ou seja: o corpo humano é um instrumento perfeito que foi dado a você (de acordo com essas filosofias) e cabe a você cuidar dele, ou seja: fazer refeições balanceadas, evitar a raiva e o ódio e praticar hábitos salutares, como exercícios físicos ou meditação.
Filosofia à parte, e independente do pensamento de cada um, é importante sim cuidar do corpo, desde que com método e segurança. Nesse artigo você irá conferir sobre as maneiras como a Cirurgia Plástica pode ajudar as pessoas.

Cirurgia Plástica engloba os procedimentos que podem ser de dois tipos: os que são feitos com cirurgia e os que são feitos sem cirurgia. Se você possui algum preconceito em relação à Cirurgia Plástica, vale repensar.
Muitas cirurgias plásticas realizadas são do tipo “reparadora”, ou seja, para corrigir pequenos problemas de nascença ou causados por acidentes, que acabam afetando a auto-estima da pessoa. É o caso, por exemplo, de crianças que possuem orelhas grandes ou lábio leporino. A Cirurgia Plástica também ajuda obesos que conseguiram emagrecer, mas ficaram com pele flácida, sendo assim necessário um procedimento para retirar o excesso de pele.

Um público cada vez maior da Cirurgia Plástica são os homens. Recentemente, com a popularização dos metrossexuais e o aumento da vaidade masculina, muitos procedimentos de Cirurgia Plástica estão abertos aos homens, como a lipoaspiração e plástica de nariz.
Por último, lembre-se sempre: Cirurgia Plástica é um procedimento muito sério. Não faça uma Cirurgia Plástica por impulso, apenas porque alguém sugeriu a você. Lembre-se da história do começo do artigo: seu corpo é seu diamante. Procure lapidá-lo com esmero.

Clínica Dermatologia Florianópolis - Dra. Rafaela Salvato Dermatologista - Cirurgia Plástica

Terapia Fotodinâmica



Um dos personagens mais famosos da literatura, inspirado na vida real, fez e faz muito sucesso até hoje, em livros, novelas, músicas, histórias em quadrinhos e – claro – filmes. Estamos falando do Conde Drácula, temível vampiro que habitava terras distantes, localizadas ao leste da Europa. Conta a lenda que esse ser possuía poderes mágicos, como se transformar em morcego, além de ser capaz de viver muitos anos.
A única fragilidade de um vampiro era em relação a objetos ou situações muito, muito específicas. Vampiros – ainda de acordo com o imaginário popular – são extremamente frágeis ao alho, que os repele. Também não suportam água benta e – muito menos – crucifixos. E – como todos sabem – vampiros saem somente de noite, porque morrem rapidamente se entrarem em contato com a luz do sol.
Esse simples exemplo retirado dos livros clássicos mostra como a luz do sol possui benefícios e poderes que até hoje são estudados. Sabemos que a luz do sol é responsável pelo auxílio na produção de vitamina D, além de ajudar a curar outros males.
No entanto, não é apenas a luz do sol que possui esse poder. Com o avanço da ciência, especialistas desenvolveram outros tipos de luzes (algumas vezes conhecidas como lasers), que ajudam nos mais diversos tratamentos de saúde.

Hoje iremos falar da Terapia Fotodinâmica, um método que vem sendo usado para fazer tratamentos da pele e também tratamentos estéticos. Para entender melhor a Terapia Fotodinâmica você precisa entender que Foto significa Luz. Ou seja: uma terapia que usa a luz como princípio ativo.
Para que a Terapia Fotodinâmica funcione, o médico aplica uma substância na pele, normalmente um ácido, e depois faz a irradiação de um tipo de luz específica na pele. O ácido ajuda a potencializar o efeito da luz, possibilitando assim que os efeitos resultados sejam alcançados.
A Terapia Fotodinâmica é muito usada para tratar determinados tipos de câncer de pele, geralmente as formas menos agressivas (que acontecem 9 em cada 10 casos). No entanto, a Terapia Fotodinâmica também é usada para outros fins, desde o rejuvenescimento facial até o tratamento de uma acne persistente e avançada.
O procedimento não necessita de sedação, ou seja: o paciente fica acordado enquanto a Terapia Fotodinâmica entra em ação. E quanto à recuperação da Terapia Fotodinâmica, ela demora apenas um pouco mais, porque a pele é um órgão muito sensível e necessita de cuidados especiais.
Normalmente a pele consegue se recuperar em menos de um mês, algo em torno de 21 dias, um prazo relativamente rápido – principalmente quando se está tratando de uma doença como o câncer. Converse com um médico dermatologista e procure saber mais sobre a Terapia Fotodinâmica. Procure sempre consultórios/clínicas especializadas, já que a Terapia Fotodinâmica, quando feita incorretamente pode acarretar sérios danos a sua saúde.

Clínica dermatologia Florianópolis - Dra. Rafaela Salvato Dermatologista - Terapia Fotodinâmica

12 de novembro de 2014

Preenchimento facial

Recentemente uma franquia tem feito muito sucesso, principalmente entre as crianças. Trata-se de uma loja que produz bichos de pelúcia personalizados. Ou seja: a criança escolhe qual o bicho que ela quer (urso, elefante, girafa, etc), qual a cor desse animal (o urso pode ser branco, roxo, azul ou – o mais comum de todos – marrom. Os outros animais também podem receber cores diferentes). A seguir, é hora de escolher o tamanho dele, podendo ser pequeno, médio ou grande e – por último – os detalhes: tipo do olho, acessórios (como gravatinha) e enchimento, que pode ser de três tipos: do bem fofinho, do intermediário ou do mais firme, recomendado para crianças que gostam de arrastar o bichinho para todos os lugares.

É importante, para que você entenda o artigo de hoje, pensar no enchimento dos bichos de pelúcia. Quanto mais enchimento, mais volume o bicho tem, certo? E quanto menos enchimento, mais murcho ele fica, certo? Além disso, mais enchimento deixa o bicho de pelúcia mais firme, enquanto menos enchimento deixa o bicho de pelúcia mais mole.

 E nesse momento você deve estar se perguntando: qual a relação que isso tem com procedimentos estéticos atuais, que são realizados por médicos dermatologistas qualificados, nos seus consultórios?
A relação é que o procedimento conhecido como Preenchimento Facial utiliza o mesmo princípio do enchimento em bichos de pelúcia, falando de maneira bem grosseira e didática. O Preenchimento Facial funciona assim: em determinadas partes do rosto (analisadas previamente), o médico aplica ácido hialurônico. Essa substância realiza um aumento de volume na local onde age, sendo usada – principalmente – para amenizar rugas e linhas de expressão.

O Preenchimento Facial, deve ser analisado com muita calma. Você está interessado em realizá-lo? Pesquise por atrizes que fizeram Preenchimento Facial. Uma dica para quem pensa em fazer Preenchimento Facial é conversar com pessoas do seu círculo de relacionamentos, que já passaram por essa prática.

Então, se depois dessas duas etapas você realmente estiver motivado ou motivada a realizar o Preenchimento Facial, converse com um bom médico dermatologista, para que ele analise seu caso, com todo o cuidado que ele merece. Assim você não coloca em risco sua saúde e faz um procedimento estético de forma muito consciente e não por impulso.

Clínica dermatologia Florianópolis, Rafaela Salvato Dermatologia: Dermatologista Florianópolis. Preenchimento facial.

Calvície



Com uma nova idade chegam novas experiências. Durante a infância não percebemos as mudanças, mas – principalmente – na época da pré-adolescência para frente, nossa mente e maturidade evoluem constantemente, o que é muito interessante, já que a vida é uma espiral infinita de aprendizados.

No entanto, com as novas experiências chegam também os desafios e problemas. E com a nova idade, chegam situações que você não faz a mínima idéia de como enfrentar. Os dermatologistas costumam citar, por exemplo, a chegada do problema da calvície.
Esse problema chega sem avisar, mas dá pequenas pistas, principalmente depois que você entende que todo ser humano é 50% fruto dos cromossomos da mãe e 50% fruto dos cromossomos do pai.

Ou seja: se um dos lados possui nos genes um problema genético, existe a chance de que ele tenha sido repassado a você. A boa notícia é que atualmente a medicina está muito avançada e – se não existir cura para seu problema – com certeza já existe um tratamento. O avanço da internet e o acesso à informação se tornaram muito rápidos, o que faz com que a comunidade de pesquisas científicas e a comunidade médica de todo o mundo estejam sempre em contato.

Todo esse contexto é importante para que você observe que a Calvície, um problema que aflige muitos homens, é um problema genético. Claro, quando percebemos que apresentamos esse componente genético que faz o cabelo cair, é um tanto impactante saber que existe a possibilidade de que ficaremos carecas.
Passado o susto e o pânico inicial, é hora de buscar o tratamento para a Calvície (que pelos médicos é conhecida como Alopecia – um nome muito mais simpático, não acham?). E aqui, a título de curiosidade: você sabia que Alopecia vem de uma palavra grega, que é Alopex? E você sabia que Alopex quer dizer raposa? Mas, afinal, o que tem a ver raposa com Calvície? A raposa também apresenta frequente queda de pêlos, e é por isso que esse foi o nome escolhido para representar cientificamente o popular nome da Calvície.

Para saber se você realmente sofre com Calvície, consulte um médico dermatologista. É muito mais fácil, rápido e prático. Você não sofre por antecipação e nem cria problemas que não possui. Às vezes muitos homens acham que estão ficando carecas porque encontram muitos fios de cabelo na pia e no ralo do chuveiro.

Claro, esse pode ser um sinal de Calvície, mas todo ser humano perde até cem fios de cabelo por dia, ou seja: cabelo cair é absolutamente normal. O problema acontece quando os fios que caem não são repostos, o que acaba resultando na Calvície.

E, por último, existem outros problemas que podem levar à Calvície, problemas que não são genéticos, como a seborreia. Por isso, novamente nossa dica final é: procure um médico. Quanto antes você descobrir e quanto antes você tratar do problema da Calvície mais fácil será para continuar com seus belos cabelos acima da sua cabeça.

Rafaela Salvato Dermatologia - Dermatologista em Florianópolis SC - Calvície
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...