26 de novembro de 2014

Estrias




Estrias. Tudo na vida possui um limite. Se você ficar atento, desde o momento em que você se levantar da cama poderá perceber como os limites estão em todos os lugares. Existe limite de quantidade de roupa que pode ser colocada na máquina. Existe limite de pessoas que podem usar o elevador ao mesmo tempo. Já nas ruas, existe limite de velocidade e uma série de outras restrições.
Isso acontece porque limites são uma forma de prevenção. Se muita roupa for colocada na máquina de uma vez só, ela irá se quebrar. Se muitas pessoas entrarem no elevador, todas juntas, o elevador corre o risco de cair. E se o limite de velocidade não for respeitado, aumentam as chances de ocorrer um acidente de trânsito.
E, como não poderia ser diferente, o corpo possui seus limites. Por isso é sempre importante procurar não se exceder, no que se refere aos alimentos, às bebidas alcoólicas e em muitas outras áreas. No entanto, como somos humanos, o corpo sabe quando está sendo testado além do limite e – por isso – toma medidas preventivas.

No fim das contas, quem sai prejudicado é você mesmo. No entanto, muitas vezes as pessoas não estão além do seu limite e mesmo assim o corpo produz resultados indesejados. Hoje, iremos falar sobre um desses resultados, que causa grande preocupação entre as mulheres.
Sim, estamos falando das estrias. Se você é mulher, com certeza sabe do que estamos falando. Mas se você, caro leitor, for homem, talvez desconheça o que essa palavra significa (para inveja de muitas mulheres, que gostariam de poder nem conhecer o que são as Estrias).
Estrias são pequenas cicatrizes que acontecem porque a pele se esticou além do seu limite. Como o corpo humano possui vários mecanismos que garantem o seu correto funcionamento, ele não deixa que a pele se rasgue. Sendo assim, assim que a pele é esticada ao limite já se inicia um processo de cicatrização, mantendo as bordas do local onde a pele foi esticada já em um processo cicatrizatório. A má notícia é que esse processo cicatrizatório deixa uma marquinha na pele... sim, você adivinhou: Estrias.

Evitá-las é difícil. Você pode ter ficado com Estrias na adolescência, por ter crescido muito rápido. Você pode ter ficado com Estrias porque ganhou muito peso em um curto período de tempo. E você pode ter ficado também com Estrias porque já passou por uma gravidez.
A boa notícia é que existem algumas maneiras de tratar Estrias. Anote então as dicas que daremos a seguir para talvez eliminar as Estrias. Converse com um profissional de saúde qualificado e procure entender sobre os procedimentos: Peeling, Luz Pulsada (estrias recentes) e Laser de CO2.
Existem outros procedimentos estéticos para tratar Estrias, mas esses já poderão ajudar você, caso esteja interessado ou interessada.

Rafaela Salvato Dermatologia, Dermatologista. Estrias

Menopausa e a pele


Menopausa e a pele. Hormônios. Eles controlam nossos sentimentos e atitudes, por mais que sejamos donos de um auto-controle muito forte. Quer alguns exemplos? Você está em uma situação de perigo. De repente, sua respiração começa a fica ofegante. Seus olhos começam a se movimentar muito rápido e seus músculos ganham uma força além daquela que você conhece.
Todos esses fatores são desencadeados pela descarga de adrenalina em seu sangue, que faz seu coração bombear o sangue mais rápido, deixando você preparado para correr ou enfrentar o perigo. Perceba como nessas situações extremas é muito difícil agir conscientemente, já que o impulso toma você muito rápido. Impulso ou hormônio, muda apenas o nome que você faz uso.
Outro exemplo que as pessoas gostam de ouvir porque entendem rapidamente: preste atenção aos adolescentes. Criaturas realmente diferentes, com corpos que ainda são disformes (cabeça grande e corpo pequeno ou grande), vozes que ainda desafinam e – principalmente – reações inesperadas e humor instável. Além desse ser um momento natural de desafio às regras e a educação que recebera, durante a adolescência ocorre uma verdadeira infusão de hormônios no organismo, fazendo com que o corpo custe a processar todas as informações que estão ocorrendo, resultando assim em um temperamento muito imprevisível e – certas vezes – irascível.

Felizmente, essa fase passa. O problema acontece quando ela resolve voltar, na maioria das vezes afetando as mulheres. Isso acontece quando a menopausa chega, período em que a mulher deixa de produzir óvulos, ou seja: pára de menstruar, tornando-se infértil. Durante essa transformação, digamos assim, no corpo da mulher, existe uma variação muito grande em determinados níveis de hormônios, o que acaba gerando alguns efeitos colaterais, como calorões súbitos e – conforme já falamos – alteração de humor.
Além disso, outro problema colateral da menopausa é em relação à pele. A Menopausa e a pele estão intimamente ligadas. Explicamos melhor: durante a menopausa os níveis de colágeno e elastina (duas substâncias que dão tônus à pele e evitam que ela fique flácida) diminui consideravelmente, o que acaba resultando em marcas de expressão mais profundas e rugas no rosto.
As alternativas são pontuais: aceitar a chegada da idade e deixar que os anos acompanhem a sua aparência; ou fazer tratamentos e procedimentos estéticos para disfarçar a chegada dos anos.
Em relação aos tratamentos estéticos para a Menopausa e a pele, existe uma série muito grande de produtos e técnicas que podem ser utilizadas.
Por isso, prepare-se para Menopausa e cuide da sua pele, pedindo a orientação de seu médico dermatologista de confiança.

Clínica de Dermatologia em Florianópolis SC. Dermatologista Florianópolis. Menopausa e a pele

Dermatoses




Dermatoses. Em muitos livros antigos, que remetem aos levantamentos filosóficos dos druidas, encontramos sérias indagações sobre os dois lados que – segundo esses sábios – norteiam as atitudes, os pensamentos e o modo de viver das pessoas.
Estamos falando do lado emocional e do lado racional. Tradicionalmente o imaginário popular gosta de pintar uma cena em que o cérebro seria o responsável pelo lado racional, enquanto o coração cuidaria das emoções. Bem, segundo os estudos avançados de hoje e de acordo com as novas técnicas de ressonância magnética, já sabemos que é o cérebro quem cuida da parte intelectual e emocional.
Ou seja: a partir do que é levantado pelos cinco sentidos (olfato, paladar, audição, visão e tato), o cérebro faz um diagnóstico da situação, escolhendo intuitivamente e de maneira muito rápido o que deve fazer. Alguns psicólogos já mostraram até evidências de que quando estamos apaixonados o que acontece é uma descarga de algumas substâncias químicas que fazem a pessoa se sentir tranquila, em paz e muito bem.
O problema é que esse comportamento do cérebro funciona não apenas para as coisas boas. Ou seja: ele se estende também às coisas ruins. É por isso que quando passamos por um estresse muito grande, ou uma tristeza forte nos abala, nosso corpo todo sente as consequências: a imunidade baixa, dando abertura para alguns males e doenças.
Uma das doenças cuja causa pode ser psicológica é a Dermatose, você já ouviu falar nela? Então preste atenção aos próximos parágrafos porque você irá conferir o que é uma Dermatose, como uma Dermatose normalmente se manifesta e como tratar uma Dermatose (lembrando sempre que em caso de qualquer suspeita você deve procurar um médico dermatologista, porque somente ele poderá fazer o diagnóstico correto).

Dermatose é o termo médico usado para se referir a um grupo de doenças que aparecem na pele. Conforme falamos acima, algumas pessoas que passam por situações em que ficam instáveis emocionalmente podem ficar propensas a serem acometidas por dermatoses. Normalmente, surgem na pele pequenas bolhas, sendo que a pele coça bastante. No entanto, como esse é um sintoma bem comum e genérico, é importante ir a um especialista para verificar qual o seu problema.
Além do fator emocional, a Dermatose pode ser desencadeada por outros fatores. Fique atento a eles: ingestão de algum tipo de alimento a que você possui alergia, contato com produtos de limpeza ou higiene que possuam alguma substância que pode irritar sua pele, contato com produtos químicos (geralmente acontece quando a pessoa, no emprego, lida com produtos tóxicos).
Por último, fique atento e verifique se alguém na sua família já sofre ou sofreu com Dermatose. Também vale lembrar que uma Dermatose é diferente de uma dermatite. A primeira pode abranger outros problemas de pele, enquanto a segunda quer dizer que a pele está inflamada.

Dra. Rafaela Salvato Dermatologista no Centro de Florianópolis - Dermatoses.

Máquina de bronzeamento artificial



Máquina de bronzeamento. Uma tirinha de um famosíssimo cartunista mostrava um pequeno garoto vendo seu pai trabalhar. O adulto reclamava sozinho, enquanto usava o computador. Suas queixas diziam algo em relação a como as máquinas tornaram o nosso tempo de trabalho muito maior. Ou seja: acreditava-se que com máquinas mais eficientes e velozes (como o computador) ganharíamos mais tempo para descansar, já que as tarefas seriam liquidadas em pouco tempo.
O que aconteceu, ainda segundo a personagem, foi que as máquinas tornaram sim nosso trabalho mais rápido. Mas nem por isso deixamos de trabalhar bastante: com mais tempo livre, somos forçados a trabalhar mais. Por exemplo: se antigamente, com uma máquina de escrever, demorávamos 8 horas para realizar uma tarefa, com o computador demoramos 2 horas. Mas em vez de descansar essas seis horas, completamos o tempo finalizando outras três tarefas. É por isso que muitas pessoas saem esgotadas do escritório ao fim do dia.
Por isso, ficava a indagação ao fim da tirinha: será que realmente as máquinas nos ajudam? Essa dúvida vai ajudar você, caro leitor ou leitora, ao longo desse artigo, que trata de uma máquina. Mas não é uma máquina qualquer, é uma máquina que promete satisfazer a vaidade da mais exigente mulher, deixando-a com o corpo do jeito que a sociedade julga belo, principalmente nos países tropicais. Você sabe do que estamos falando?

O assunto de hoje tratará das máquinas de bronzeamento artificial. Esse é um tema bastante controverso, que divide algumas opiniões, por isso gostaríamos que você valorizasse sua saúde, lesse com atenção os próximos parágrafos e buscasse a opinião de médicos especialistas qualificados que poderão ajudar você a entender melhor o tema que estamos tratando.
A máquina de bronzeamento surgiu a partir de uma idéia: oferecer às mulheres e homens a possibilidade de alcançar um bronzeado perfeito, sem ter de ir à praia, passando longas horas na esteira à beira do mar, virando ora para um lado, ora para outro.
Assim, a partir dessa idéia, uma máquina de bronzeamento foi desenvolvida. O princípio usado é o mesmo do sol: usar a luz para deixar a pele mais escura. No entanto, ao longo dos anos e depois de algumas pesquisas, as máquinas de bronzeamento começaram a chamar atenção das autoridades de saúde, devido à suspeita de que as máquinas de bronzeamento seriam causadoras do câncer de pele.
Esse fato é defendido por um órgão internacional que fez um estudo relativo às máquinas de bronzeamento artificial. A conclusão foi de que sim – elas representam risco à saúde.

Dra Rafaela Salvato - Dermatologista em Florianópolis - Máquina de bronzeamento

Estrias na gravidez



 
Estrias na gravidez. As pessoas costumam dizer que a gravidez é uma das fases mais bonitas da vida de uma mulher. Segundo a sociedade costuma brincar, é nessa época que “a mulher libera toda sua feminilidade e beleza, ao perceber que está carregando a semente de uma nova vida que cresce dia após dia em seu ventre, durante nove meses”. No entanto, apesar de muito romantizada, a gestação é uma época realmente mais difícil para a mulher. Para que o corpo humano da mãe consiga gerar, nutrir e manter um ser vivo dentro da barriga, é necessária uma série de alterações, que envolvem desde os hormônios até os músculos.
Muitas vezes, durante a gravidez, as mulheres se queixam de dores, enjôos, cansaço e tontura. E – conforme os médicos já orientam logo no início da gravidez – é muito importante que as gestantes recebam um acompanhamento médico de perto, que dê orientações desde em relação à alimentação até a prática de atividades que podem facilitar no momento do parto (como hidroginástica, por exemplo).
Mesmo assim, a futura mamãe não fica livre das dificuldades que podem acontecer a qualquer grávida. Na verdade, alguns nem são problemas, estão mais para incômodos. Você tem idéia do que podemos estar falando? Mais uma dica: de cada 10 mulheres, nove irão passar por esse incômodo.
Bem, se você já adivinhou, parabéns. E se ainda não adivinhou, fim do mistério: estamos falando das estrias na gravidez. É muito importante que – mesmo que você não seja excessivamente vaidosa – cuide para não ficar com Estrias na gravidez, porque no futuro, quando já tiver com os filhos crescidos, poderá se lembrar quando estiver na praia ou em outro lugar.
 
As Estrias na gravidez surgem quando a pele é esticada além do que é capaz de suportar, fazendo com que apareçam cicatrizes que mostram o esforço que foi feito para que a pele não se rompesse. Estrias não são exclusividade de grávidas: aparecem também em adolescentes que cresceram muito e em pessoas que ganharam ou perderam muito peso em um curo período de tempo.
Agora, uma dica importante em relação às Estrias na gravidez: quanto mais nova é a mulher grávida, maiores as chances de ela desenvolver estrias. Isso acontece porque a mulher mais madura normalmente tem a pele um pouco mais flácida, o que facilita na hora em que é necessário um aumento de volume.
Para evitar que as estrias fiquem marcadas permanentemente em sua pele, é necessário atenção. Verifique todo dia, se possível, no espelho se há alguma marquinha de cor rosa clara. Caso sim, esse é o primeiro estágio de uma estria, ou seja: esse é uma estria recente, que logo se transformará em uma cicatriz de cor branca.
Procure um médico dermatologista, para que ele explique a você como cuidar corretamente das Estrias na gravidez, garantindo assim a beleza de ser mãe e a beleza do seu corpo.

Clínica de Dermatologia em Florianópolis SC - Dra. Rafaela Salvato - Estrias na gravidez 

27 de Novembro - Dia Nacional de Combate ao Câncer.



O câncer é a segunda principal causa de mortes no Brasil, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. A fim de conscientizar a população a respeito da importância do diagnóstico precoce e da adoção de medidas de prevenção contra o câncer, o Ministério da Saúde, por meio da portaria GM nº 707, de dezembro de 1988, instituiu o Dia Nacional de Combate ao Câncer. Na data, que é comemorada no dia 27 de novembro, diversas campanhas educativas sobre os vários tipos de câncer são divulgadas, assim como as formas de tentar barrar o avanço da doença.
É cada vez maior o número de casos de câncer no Brasil e no mundo. Eles estão relacionados principalmente com hábitos de vida pouco saudáveis. Estima-se que o número de casos da doença poderá dobrar nas próximas décadas, principalmente nos países de baixa renda. Porém, vale destacar que a doença não escolhe cor, idade ou sexo, podendo atingir toda a população e também qualquer órgão do nosso corpo.
Os principais tipos de câncer que acometem a população brasileira são o câncer de pele, próstata, mama, traquéia, brônquios e pulmão, cólon e reto. Entre as mulheres, o principal causador de mortes é o câncer de mama. Já nos homens, o câncer de pulmão é o maior responsável pelos óbitos.
Conhecer os tipos de câncer, bem como seus fatores de risco, é fundamental para desenvolver hábitos eficazes para a prevenção dessa enfermidade. Aprenda mais: Clique aqui e acesse um teste preparado pelo INCA que objetiva verificar o seu conhecimento sobre o câncer.

Dra Rafaela Salvato, dermatologista em Florianópolis SC - Câncer de Pele

19 de novembro de 2014

Hanseníase


Dois mil anos já se passaram (segundo alguns relatos e estudos, porque sempre há controvérsia nesse caso) desde que Jesus habitou a Terra. Discussões à parte (e até nem pretendemos entrar na área religiosa), Jesus conseguiu dividir a humanidade em dois momentos, antes e depois de vir ao mundo. Sendo assim, temos Antes de Cristo, AC, e Depois de Cristo, DC.
Então, imagine: 20 séculos são bastante tempo, tomando como referência a expectativa de vida de um ser humano, que varia de 40 a 90 anos, dependendo do lugar onde vive e do estilo de vida. E imagine ainda se voltarmos mais tempo no passado do que vinte séculos.
Todo esse contexto é necessário para que você entenda como a doença de que iremos falar nesse artigo é antiga. A doença já foi documentada muito antes de Jesus, e na época de Jesus era famosa, tanto que muitos dos milagres de cura foram realizados em que pessoas com essa doença.
Estamos falando da Hanseníase, nome atual da doença que já recebeu outras denominações, que carregavam preconceito e medo. Hanseníase é o modo correto de se referir à lepra. Mas como ela conseguiu atravessar vários períodos da humanidade, sobrevivendo durante todo esse tempo? Descubra a seguir, lendo o artigo que preparamos para você.

A Hanseníase é causada por um microorganismo, sendo por isso infecciosa (que pode ser passada de pessoa para pessoa). Por isso, muitas pessoas ficam com medo de entrar em contato com pessoas portadoras da doença por medo de serem contaminadas.
A Organização Mundial da Saúde já esclareceu que a transmissão da Hanseníase é feita por meio da respiração. No entanto, vale ficar atento aos detalhes: assim que o tratamento é iniciado, a doença deixa de ser transmissível. Ou seja: se a pessoa descobriu que é portadora de Hanseníase, depois do início do tratamento pode voltar ao convívio familiar, sendo apta até para executar sua profissão.
Vale lembrar que a maior parte dos adultos são resistentes ao microorganismo que causa a Hanseníase. Por isso, infelizmente os casos atingem mais as crianças, que são infectadas quando há algum adulto contaminado por perto.

Os médicos costumam dizer que a Hanseníase possui um período de incubação longo. Isso significa que pode demorar para que a doença comece a causar problemas à pessoa. Por isso é importante consultar regularmente um médico e – em caso de qualquer suspeita – ir urgente ao hospital.
Por último, mas não menos importante, é bom que todos saibam que a Hanseníase possui cura. Antigamente (basta lembrar-se dos exemplos que conhecemos pela Bíblia), os portadores de Hanseníase eram segregados da sociedade, vivendo excluídos da família e da vida social da cidade. Atualmente, o tratamento pode ser feito em casa, durando de seis meses a um ano.

Dra Rafaela Salvato, dermatologista em Florianópolis SC - Hanseníase
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...