Google+

28 de janeiro de 2015

Alergia aos alimentos


Alimentar-se é uma necessidade do ser humano desde que ele está no ventre materno. A mãe, por meio do cordão umbilical, passa ao bebê todos os nutrientes de que ele precisa para se desenvolver. É por isso que muitas grávidas, por exemplo, sentem desejos muitos específicos, em relação aos alimentos: é um pedido do organismo para suprir determinada reserva de nutrientes que está em falta. Assim, se a mulher apresenta uma vontade muito grande de comer carne, é porque está precisando de ferro. O mesmo acontece com frutas, verduras, doces e muitos outros casos.
Quando o bebê nasce, precisa novamente de alimento, mas de um alimento muito específico: leite materno. Aos poucos, e gradativamente, a alimentação da criança começa a ficar mais abrangente. Com determinada idade as papinhas são introduzidas no cardápio da criança, assim como as sopinhas, as frutas picadas e assim por diante.
Até que, finalmente, depois de certa idade o intestino da criança já está pronto para receber comidas mais sólidas, uma prova de que a natureza foi sábia. Mas essa é uma exclusividade dos seres humanos. Vemos na natureza que muitos filhotes saem diretamente do período de amamentação para a alimentação carnívora ou herbívora, dependendo da espécie.
Bem, cada caso é um caso e entre as espécies existe muita divergência. No entanto, um dos problemas que mais afeta os seres humanos é justamente em relação aos alimentos. Estamos falando da Alergia aos alimentos, que já se manifesta também logo nos primeiros meses de vida.
Muitos bebês sofrem porque são alérgicos ao leite materno, fazendo com que soluções alternativas precisem ser encontradas para que o recém-nascido não fique privado dos nutrientes de que tanto precisa.

A Alergia aos alimentos, no entanto, pode surgir em qualquer fase da vida. E assim como elas surgem do nada, também podem desaparecer magicamente. Isso significa que se você é um adolescente cheio de alergias, poderá chegar à fase adulta sem nenhuma alergia. Ou se você é um idoso que nunca sofreu com alergias, pode ser que um dia descubra algum alimento que faz mal a você.
As Alergia aos alimentos ainda estão sendo estudadas e infelizmente os médicos e pesquisadores não conseguiram chegar a um consenso sobre por que as alergias ocorrem e o que faz com que surjam ou desapareçam de uma hora para outra.
Portanto, como não há cura para as alergias, a dica é ficar atento e seguir os conselhos a seguir. O primeiro é ficar atento aos primeiros sintomas, como surgimento de manchas avermelhadas na pele assim que você entra em contato com o alimento.
A segunda é fazer um teste alérgico para descobrir a quais substâncias você é alérgico, mantendo-se afastado delas. E a terceira é encaminhar imediatamente ao hospital uma pessoa que está em grave crise alérgica, porque a situação é muito séria e pode levar ao óbito (porque as vias respiratórias ficam trancadas).

Rafaela Salvato Drmatologia, dermatologista Florianópolis SC - Alergia aos alimentos

10 de dezembro de 2014

Tratamento cicatrizes de acne

Um dos grandes problemas dos homens do campo que precisam andar a cavalo são os tatus. Caso você não saiba o que são tatus, basta se lembrar da copa do mundo no Brasil, realizada na metade desse ano (2014) e que consagrou a Alemanha como a grande campeã.
Se todas as imagens da Copa do Mundo já vieram a sua cabeça, basta se lembrar do mascote Fuleco, um animal azul e amarelo. O Fuleco era um tatu-bola, animal que recebe esse nome porque quando está em uma situação ameaçadora enrola-se todo, ficando com o formato de uma bola.
Voltando ao começo: o maior perigo para quem anda à cavalo no campo são os tatus, porque eles cavam a terra, deixando buracos ao longo de todo o terreno. E quando o homem à cavalo vem, cavalgando rápido, o cavalo pisa em um desses buracos e lá se vão – cavaleiro e animal – rolando pelo chão.
Essa breve história serve para ilustrar a você o problema estético de que iremos falar hoje. Com certeza, a partir dessa descrição acima, você conseguiu imaginar um longo campo verde, cheio de buracos marrons, que causam problemas. O mesmo acontece com o rosto de uma pessoa: quando ficam muitos buraquinhos na pele, a aparência é prejudicada, podendo causar não tombos, mas machucados na auto-estima da pessoa, já que o rosto é a parte do corpo que normalmente as pessoas dão grande valor.
É por isso que o artigo de hoje irá falar sobre Tratamento das cicatrizes de acne. Se você sempre achou que as colunas sociais e as fotos de celebridades em revista de fofoca eram uma grande perda de tempo, demonstrando a futilidade daquelas pessoas, você está enganado.
Explicamos melhor: a classe A foi a grande impulsionadora dos tratamentos estéticos. Como essas pessoas possuem muito dinheiro, estão dispostas a investir em técnicas e procedimentos para parecerem mais jovens e bonitas. E – com isso – elas acabam movimentando o mercado, estimulando novas descobertas.
E muitas dessas descobertas podem ser usadas para o Tratamento das cicatrizes de acne. A primeira dica, portanto, é analisar o seu caso. Você entrou na adolescência com uma pele boa e quando saiu dela estava com muitas cicatrizes no rosto? Então o seu primeiro passo é procurar um bom médico dermatologista, para que ele oriente você a respeito dos Tratamentos das cicatrizes de acne.
No entanto, se em sua pele ainda existe muita acne, não é aconselhado iniciar o Tratamento das cicatrizes de acne. O mais indicado é que primeiro você elimine toda a acne do seu rosto, para depois fazer o Tratamento das cicatrizes de acne. Assim você não corre o risco de uma nova lesão acontecer bem onde você acabou de retirar uma cicatriz.
Clínica de Dermatologia em Santa Catarina - Tratamento cicatrizes de acne

Biópsia de pele


Um antigo ditado chinês dizia algo do tipo: o cavalo do desespero é mais rápido do que o cavalo das boas notícias, porque o cavalo do desespero se alimenta de emoções enquanto o cavalo das boas notícias precisa esperar para receber seu alimento (que seriam pensamentos coerentes e sensatos).
Esse simples provérbio popular oriental mostra que os chineses sempre souberam que o desespero toma conta do ser humano porque ele não consegue pensar racionalmente em uma situação de tensão. A partir desse raciocínio os chineses conseguiram ganhar muitas guerras, se aproveitando da instabilidade emocional do inimigo em momentos de alta tensão. Ou seja: sob uma situação de estresse poucas pessoas conseguem tomar uma decisão.

Toda essa introdução é necessária para que você entenda o artigo de hoje, que fala sobre um assunto muito sério e que – nem por isso – precisa ser tratado com desespero ou afobação. Mantenha a cabeça no lugar, respire fundo, faça as perguntas certas e respeite o tempo.
Invista, então, em atitudes saudáveis e centradas. E por que estamos falando disso? Porque o tema do nosso artigo de hoje é: Biópsia de pele, um assunto que apavora muitas pessoas.

A simples menção à Biópsia de pele já faz com que muitas pessoas associem essas palavras a câncer de pele e a outras experiências negativas. Antes de tudo, lembre-se do nosso conselho do início do artigo: alimente o cavalo correto. Aja com cautela e sensatez.
Uma Biópsia de pele é pedida quando o médico dermatologista precisa de um auxílio para elaborar com maior assertividade um diagnóstico. Como todos sabemos, existe uma gama imensa de doenças que já foram descobertas e detectadas, sendo que muitas delas possuem sintomas muito parecidos.

Sendo assim, a Biópsia de pele é uma forma de economizar tempo (e tempo é algo muito precioso quando estamos falando da suspeita de alguma doença) e fazer um bom trabalho de reconhecimento e tratamento de uma doença.
A Biópsia de pele é usada para diversos casos. Em alguns deles, a pele está inflamada e o médico quer saber o motivo específico dessa inflamação. E – claro – a Biópsia de pele pode ser usada para diagnosticar o câncer de pele. A Biópsia de pele pode também detectar até mesmo cistos ou verrugas que estão em formação.

Por último, vale lembrar: se a Biópsia de pele indicar um câncer, saiba que quanto antes essa doença for diagnosticada, maiores as chances de cura. Ou seja: a Biópsia de pele só irá ajudar você, qualquer que seja o caso.

Rafaela Salvato Dermatologia - Biópsia de Pele.

1 de dezembro de 2014

Oncologia Cutânea


Um recente estudo publicado por um órgão de pesquisa da Noruega indicou que 78% das pessoas possuem dificuldade para fazer um planejamento futuro, que envolva ações que ela precisa estabelecer dentro de um prazo relativamente curto, de um ano.
Ou seja: o ser humano (não todos, claro) é movido por uma ação muito comum, que pode ser observada em pessoas de qualquer país, raça, credo ou classe social. Ficou curioso, não? Pois bem, o que sempre move as pessoas é o chamado “desespero de última hora”.
Isso significa que apenas quando a situação já está bem avançada ou grave é que as pessoas vão começar a se movimentar para tentar correr atrás do tempo perdido e fazer o que precisa ser feito. É assim, por exemplo, com trabalhos da escola: a maioria das crianças deixa para realizar a tarefa quando a data da entrega já está muito próxima.
Também observamos esse comportamento em escritórios: quem nunca se surpreendeu com o próprio potencial ao escrever, em um período muito curto de tempo, todo o relatório cujo prazo estava estourando? E isso acontece até no campo dos esportes, onde a disciplina deveria reinar: muitos times começam de fato a se empenhar no treinamento quando enxergam que o campeonato está bem próximo de começar.

Esse problema se estende à área da saúde também. Muitas pessoas passam a procurar se cuidar mais quando a saúde já está comprometida. Você, com certeza, conhece algum caso de uma pessoa que decidiu parar de fumar apenas quando os pulmões já estavam em estado crítico. Ou aquela pessoa que decidiu finalmente entrar em um regime, após quase enfartar ou desmaiar, por causa da pressão alta.
A dica que damos é: prevenção. E estamos falando em prevenção porque o artigo de hoje fala sobre Oncologia cutânea. Esse termo refere-se a uma doença muito comum, caso você não tenha percebido. Estamos falando do câncer de pele.
A boa notícia é que os pesquisadores sempre se preparam para o pior cenário possível, por isso eles estão à frente de curas e tratamentos que surpreendem sempre médicos e pacientes. Dizemos isso porque a Oncologia cutânea pode ser tratada sem grandes complicações, já que quanto mais cedo é diagnosticada, maiores as chances de sucesso na cura.

Para diagnosticar corretamente a Oncologia cutânea é necessário conhecimento médico aprofundado. No entanto, vale sempre ficar atento aos sintomas, como aquela mancha de cor escura, que apresenta bordas que não são definidas. O segredo aqui é não se desesperar e consultar seu dermatologista regularmente.

Por fim, vale lembrar: qualquer pessoa pode desenvolver Oncologia cutânea (câncer de pele). No entanto, a doença é mais frequente a quem fica exposto muitas horas ao sol, sem a proteção adequada, como acontece com agricultores e pescadores, por exemplo. Nossa dica então é simples: previna-se e use protetor solar, não deixando de ir ao médico regularmente. Lembre-se de que a prevenção pode ser sua melhor amiga e salvadora, quando falamos de Oncologia cutânea.

Dra. Rafaela Salvato Dermatologista em Florianópolis - Oncologia cutânea

Alterações dermatológicas na gravidez



Tudo que está ao nosso redor é resultado de alguma matéria prima. A cadeira onde você está sentado lendo esse artigo, por exemplo, pode ser um móvel fabricado a partir da madeira. Ou, ainda, pode ser fabricado em plástico, um derivado do petróleo.

E assim com todos os objetos: tudo que tocamos, enxergamos e até comemos é resultado de algo que a natureza nos ofereceu para o uso. O homem não cria nada; ele apenas transforma o que encontra ao seu redor, a partir de um trabalho que dá uma finalidade prática ao objeto criado.
Sim, é isso mesmo. O papel não é criação do homem, por exemplo; é apenas um fruto da descoberta de como transformar árvores em um objeto branco, liso e fino, propício à escrita. Nem mesmo a roda, tão famosa em expressões populares (como “inventou a roda”, “descobriu a roda”, usadas ironicamente), é criação do homem. É apenas, novamente, fruto da natureza.

No entanto, isso não retira do homem o fato de que é um descobridor, movido por curiosidade, sempre disposto a encontrar melhores condições de sobrevivência, fato que garantiu sua existência no planeta ao longo dos últimos 10.000 anos.

Uma das provas de que estamos intimamente conectados com a natureza é a gravidez. As mulheres são capazes de gerar novas vidas, assim como acontece em todo o mundo animal. É uma transformação incrível, que acontece a todo o momento. Nesse minuto, dezenas de bebês estão chegando ao mundo.
No entanto, a natureza se encarrega do primordial: do cuidado à vida. Então, conforme já apresentamos, podem surgir alterações dermatológicas na gravidez, dos mais diversos tipos. A seguir, nesse artigo apresentaremos duas delas, que muito incomodam as grávidas: manchas na pele e linha nigra.

As manchas na pele constituem a alteração dermatológica na gravidez mais comum. Geralmente acometem as mulheres no rosto, fazendo com que fiquem com uma mancha marrom-claro perto das bochechas. Isso acontece porque a pele da mulher fica mais sensível com a produção de hormônios durante a gravidez, fazendo com que fique mais vulnerável ao sol. Para evitar esse tipo de manchas, não fique longos períodos exposta ao sol e use sempre protetor solar.

A segunda alteração dermatológica na gravidez que falaremos é a “linha nigra”. Um nome muito estranho e por esse termo nada deve vir a sua mente. Mas estamos falando daquela linha vertical bem escura na barriga da grávida. Se essa alteração dermatológica na gravidez surgiu, não se preocupe. Depois de um período após o parto ela costuma sumir.


Clínica de Dermatologia em Florianópolis - Alterações dermatológicas na gravidez

19 de novembro de 2014

Cirurgia Plástica


Em correntes filosóficas do Oriente existem muitos pensamentos que refletem a sabedoria de grandes mestres, que se dedicaram a tentar compreender o cosmos, os planetas, os animais e a vida. Entre esses pensadores que se dedicaram a entender a vida, muitos se destacam por belas frases, que refletem a consciência que conquistaram, em relação ao mundo que os cerca.
Mas não se preocupe se ainda não entendeu, porque explicaremos melhor. Em correntes religiosas orientais (se você estudá-las) encontrará muitos pensamentos sobre a forma com que devemos viver e cuidar do nosso corpo, para evitar arrependimentos futuros.
Podemos citar, por exemplo, uma frase que diz: “seu corpo é um diamante bruto. É preciso lapidá-lo”. Ou seja: o corpo humano é um instrumento perfeito que foi dado a você (de acordo com essas filosofias) e cabe a você cuidar dele, ou seja: fazer refeições balanceadas, evitar a raiva e o ódio e praticar hábitos salutares, como exercícios físicos ou meditação.
Filosofia à parte, e independente do pensamento de cada um, é importante sim cuidar do corpo, desde que com método e segurança. Nesse artigo você irá conferir sobre as maneiras como a Cirurgia Plástica pode ajudar as pessoas.

Cirurgia Plástica engloba os procedimentos que podem ser de dois tipos: os que são feitos com cirurgia e os que são feitos sem cirurgia. Se você possui algum preconceito em relação à Cirurgia Plástica, vale repensar.
Muitas cirurgias plásticas realizadas são do tipo “reparadora”, ou seja, para corrigir pequenos problemas de nascença ou causados por acidentes, que acabam afetando a auto-estima da pessoa. É o caso, por exemplo, de crianças que possuem orelhas grandes ou lábio leporino. A Cirurgia Plástica também ajuda obesos que conseguiram emagrecer, mas ficaram com pele flácida, sendo assim necessário um procedimento para retirar o excesso de pele.

Um público cada vez maior da Cirurgia Plástica são os homens. Recentemente, com a popularização dos metrossexuais e o aumento da vaidade masculina, muitos procedimentos de Cirurgia Plástica estão abertos aos homens, como a lipoaspiração e plástica de nariz.
Por último, lembre-se sempre: Cirurgia Plástica é um procedimento muito sério. Não faça uma Cirurgia Plástica por impulso, apenas porque alguém sugeriu a você. Lembre-se da história do começo do artigo: seu corpo é seu diamante. Procure lapidá-lo com esmero.

Clínica Dermatologia Florianópolis - Dra. Rafaela Salvato Dermatologista - Cirurgia Plástica

Terapia Fotodinâmica



Um dos personagens mais famosos da literatura, inspirado na vida real, fez e faz muito sucesso até hoje, em livros, novelas, músicas, histórias em quadrinhos e – claro – filmes. Estamos falando do Conde Drácula, temível vampiro que habitava terras distantes, localizadas ao leste da Europa. Conta a lenda que esse ser possuía poderes mágicos, como se transformar em morcego, além de ser capaz de viver muitos anos.
A única fragilidade de um vampiro era em relação a objetos ou situações muito, muito específicas. Vampiros – ainda de acordo com o imaginário popular – são extremamente frágeis ao alho, que os repele. Também não suportam água benta e – muito menos – crucifixos. E – como todos sabem – vampiros saem somente de noite, porque morrem rapidamente se entrarem em contato com a luz do sol.
Esse simples exemplo retirado dos livros clássicos mostra como a luz do sol possui benefícios e poderes que até hoje são estudados. Sabemos que a luz do sol é responsável pelo auxílio na produção de vitamina D, além de ajudar a curar outros males.
No entanto, não é apenas a luz do sol que possui esse poder. Com o avanço da ciência, especialistas desenvolveram outros tipos de luzes (algumas vezes conhecidas como lasers), que ajudam nos mais diversos tratamentos de saúde.

Hoje iremos falar da Terapia Fotodinâmica, um método que vem sendo usado para fazer tratamentos da pele e também tratamentos estéticos. Para entender melhor a Terapia Fotodinâmica você precisa entender que Foto significa Luz. Ou seja: uma terapia que usa a luz como princípio ativo.
Para que a Terapia Fotodinâmica funcione, o médico aplica uma substância na pele, normalmente um ácido, e depois faz a irradiação de um tipo de luz específica na pele. O ácido ajuda a potencializar o efeito da luz, possibilitando assim que os efeitos resultados sejam alcançados.
A Terapia Fotodinâmica é muito usada para tratar determinados tipos de câncer de pele, geralmente as formas menos agressivas (que acontecem 9 em cada 10 casos). No entanto, a Terapia Fotodinâmica também é usada para outros fins, desde o rejuvenescimento facial até o tratamento de uma acne persistente e avançada.
O procedimento não necessita de sedação, ou seja: o paciente fica acordado enquanto a Terapia Fotodinâmica entra em ação. E quanto à recuperação da Terapia Fotodinâmica, ela demora apenas um pouco mais, porque a pele é um órgão muito sensível e necessita de cuidados especiais.
Normalmente a pele consegue se recuperar em menos de um mês, algo em torno de 21 dias, um prazo relativamente rápido – principalmente quando se está tratando de uma doença como o câncer. Converse com um médico dermatologista e procure saber mais sobre a Terapia Fotodinâmica. Procure sempre consultórios/clínicas especializadas, já que a Terapia Fotodinâmica, quando feita incorretamente pode acarretar sérios danos a sua saúde.

Clínica dermatologia Florianópolis - Dra. Rafaela Salvato Dermatologista - Terapia Fotodinâmica
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...