Google+

6 de novembro de 2013

OS CINCO TIPOS DE PELE



Você sabe qual o seu tipo de pele? Saber disso é fundamental para conseguir tomar a decião acertada ao escolher os cuidados de acordo com as necessidades da sua pele. As características da pele são determinadas geneticamente. No entanto, a beleza e saúde da sua pele durante a vida vão depender também de outros fatores. O que você come, a sua dieta, seu nível de stress, os medicamentos que toma, a forma como você cuida do seu corpo em geral e o descanso, são alguns dos fatores que contribuem com o aspecto que ela vai ter. Há várias dicas para ter uma pele bonita que você pode seguir, mas o primeiro passo é identificar o seu tipo de pele, assim os tratamentos são mais corretos e específicos.

Tipos de pele

A maior parte dos especialistas distinguem 5 tipos de pele: A pele normal, a pele oleosa, a pele mista, a pele sensível e a pele seca. Cada tipo de pele tem as suas características particulares que requerem cuidados diferentes.



Pele Normal > A pele normal tem uma textura fina e uma superfície suave, macia e flexível. De todos os tipos de pele este é sem dúvida o mais equilibrado e o que apresenta menor tendência para problemas cutâneos, como espinhas e manchas. Não é nem demasiado seca nem demasiado gordurosa. Os poros são bem pequenos e pouco perceptíveis. Este é um tipo de pele vibrante e que reflete saúde.

Pele Oleosa > Este é um tipo de pele que produz uma maior quantidade de óleo, isto é, as glândulas sebáceas devido a vários fatores (principalmente o fator genético e o fator hormonal) têm maior atividade do que nas pessoas com pele seca, normal ou mista, o que leva a uma maior quantidade de secreção de sebo. A pele oleosa apresenta poros dilatados, bem maiores do que os outros tipos de pele e também mais escuros, devido ao excesso de sebo que produzem e aos resíduos que vão se acumulando - um dos maiores problemas deste tipo de pele. É um tipo de pele marcado pelo aspecto gorduroso e brilhante que se vê em muitas pessoas. Tem também maior tendência para o desenvolvimento de cravos e espinhas. A vantagem deste tipo de pele? Rugas menos perceptíveis e aspecto mais jovial em relação à pele seca.

Pele Seca > De todos os tipos de pele, a pele seca será a que requer mais cuidados devido à sua tendência para envelhecer mais rapidamente e desenvolver problemas cutâneos mais graves. É um tipo de pele com maior tendência para descamar, ter menos elasticidade bem como desenvolver rugas e linhas de expressão do que os outros tipos de pele.

Pele Mista > Este é provavelmente um dos tipos de pele mais comuns e, como o próprio nome sugere, é uma combinação de pele seca com pele oleosa. Algumas regiões são oleosas (principalmente na zona T – queixo, nariz e testa) onde os poros são naturalmente mais dilatados e também outras áreas em que esta pode ser normal ou seca (área ao redor dos olhos, boca e bochechas). Se você sente a sua pele esquisita como se estivesse a ser esticada em algumas áreas e com excesso de óleo em outras regiões, então você provavelmente tem pele mista.

Pele Sensível > A pele sensível é um dos tipos de pele mais frágeis e se torna irritada e inflamada muito facilmente. É normal haver zonas que desenvolvam vermelhidão, coceira, manchas, ardor e uma maior tendência para descamar. Apresenta uma textura fina, delicada e bastante sensível ao uso de cosméticos, bem como às alterações do clima. A pele sensível é talvez um dos tipos de pele mais problemáticos e como tal exige cuidados especiais.

A sugestão mais correta para identificar o tipo da sua pele é com a procura de um dermatologista, que poderá lhe dar essa informação e ainda indicar os melhores tratamentos e cosméticos para seu tipo específico. Cuide bem da sua pele!


Imagens via
Dra. Rafaela Salvato, Dermatologista.

1 de novembro de 2013

O que é e como tratar a Acne



Um rosto com acne pode prejudicar não só a pele, mas principalmente a auto-estima! Cravos, espinhas, cistos, nódulos e cicatrizes formam o conjunto de manifestações que chamamos de acne. O maior responsável pelo aparecimento da acne é a glândula sebácea, que produz a oleosidade da pele. Durante a infância a glândula sebácea permanece inibida, pequena, e produz pouco ou nenhum sebo, razão pela qual as crianças apresentam uma pele mais lisa e homogênea.



A acne aparece com maior frequência no rosto, colo e dorso, onde o número de glândulas sebáceas é maior. Existem diferentes tipos de acne e a mais comum é a que se desenvolve durante a adolescência, devido às alterações hormonais. A alta destes hormônios provoca uma fabricação de óleo que, misturados às células mortas, obstrui os poros da pele. As bactérias podem crescer nessa mistura, causando inchaço, vermelhidão e pus. Deve-se considerar de suma importância também a tendência hereditária; isto significa que um jovem, cujo pai e mãe tiveram acne, tem maior chance de apresentá-la. No entanto, você pode ser o primeiro a ter espinhas em sua família, assim como todos os irmãos ou somente um deles pode apresentar pele acneica.



A acne pode apresentar graus variados, com maior ou menor inflamação, e sempre é mais grave quando apresenta cistos, nódulos e muitas lesões nas costas. A maioria dos casos de acne apresenta considerável melhora na segunda década da vida. Contudo, sempre há exceções: algumas pessoas continuam apresentando os sintomas durante a vida adulta, até cerca de 35 anos. Causas comuns para essa permanência na fase adulta são alterações hormonais, cosméticos, alimentação não balanceada, ingestão de medicamentos, etc. Falaremos mais sobre a acne do adulto em um próximo post.



Tratamentos da acne

Um péssimo hábito é o de espremer e cutucar as espinhas, que deve ser evitado, assim como o uso de produtos caseiros ou desconhecidos. Outro grande erro nos tratamentos para acne são as soluções milagrosas, que muitas vezes só pioram o quadro. Conforme o grau e a intensidade da acne, o tratamento pode ser apenas local, com medicações tópicas, dependendo de uma avaliação criteriosa do dermatologista. Casos mais graves podem ser tratados com medicamentos orais, peelings, LEDs, etc. Quando tratada a tempo, a acne não evolui para cicatrizes ou manchas na pele. Lembre-se, quando mais cedo iniciar o tratamento, melhor será o resultado. O adolescente já passa por várias mudanças, com uma autocrítica exacerbada e uma pele inflamada e marcada só pode prejudicá-lo do ponto de vista psicológico e social.

Imagens via
Dra. Rafaela Salvato, Dermatologista.





29 de outubro de 2013

29 de outubro – Dia Mundial da Psoríase



Olá queridos leitores,

       O dia de hoje é uma data muito importante para milhares de pessoas ao redor do mundo. Estima-se que cerca de 2% da população mundial possuem psoríase, uma doença de pele benigna, de origem inflamatória, crônica e não contagiosa. Sua causa não está bem definida, porém sabe-se que está relacionada à transmissão genética e também à influência do meio externo. A doença é mais prevalente na idade adulta, mas 15% dos casos surgem antes dos dez anos de idade. Caracteriza-se principalmente por placas avermelhadas e com descamação prateada, mas há várias formas clínicas e diferentes graus de acometimento do corpo. Alguns casos podem atingir as unhas, couro cabeludo e também articulações.
        Há diferentes tratamentos disponíveis, como cremes, fototerapia, lasers, comprimidos ou injeções. Dependendo da resposta individual e também da apresentação clínica da doença é que o tratamento é escolhido. Não há cura, porém o bom acompanhamento dermatológico pode levar ao controle dos sintomas e à melhora da qualidade de vida dos pacientes. Bom, mas por que a data de hoje é tão importante? Por muitos anos, os portadores de psoríase sofrem com preconceito e exclusão social. A falta de informação faz com que muitos sofram discriminação, sejam impossibilitados de trabalhar, frequentar piscinas, áreas públicas, etc. A data de hoje significa principalmente informação e respeito. Quando temos o conhecimento de que a psoríase não é contagiosa e que seus portadores merecem viver com dignidade mesmo com sua condição cutânea, respeitamos mais uns aos outros.

Uma ótima terça-feira para todos nós!
Imagem via

11 de outubro de 2013

Cuidados com a pele infantil

Com a proximidade do dia das crianças, falaremos um pouco sobre os cuidados que a pele dos pequenos exige. A pele infantil não é igual à pele dos adultos e requer cuidados especiais!



O conceito frequentemente reforçado por muitos pediatras de que a criança não é um adulto em miniatura é claramente exemplificado através das particularidades de sua pele. A pele infantil distingue-se da dos adultos quer em termos de características quer em termos de patologias.
A epiderme e a derme das crianças são mais finas e apresentam menor quantidade de pelos.  As glândulas do suor existem em menor número e há também uma menor atividade das células produtoras do pigmento que dá cor à pele (melanócitos). Sendo assim, a criança apresenta uma maior dificuldade em lidar com o frio e o calor, sendo mais susceptível às mudanças de temperatura. Além disso, a menor espessura da pele facilita uma maior penetração tanto de medicamentos tópicos quanto de substâncias tóxicas que entram em contato com a pele. As crianças também desenvolvem mais facilmente feridas ou bolhas quando a sua pele é exposta a calor excessivo, agentes químicos, situações traumáticas ou inflamatórias.
Vamos falar um pouco sobre um dos cuidados que geralmente é esquecido pelos pais, que tem muitos cuidados com a proteção solar, indispensável, mas esquecem que a pele dos pequenos também precisa de hidratação.



HIDRATAÇÃO DA PELE INFANTIL:

Para muitos pode parecer estranho que se recomende a hidratação da pele do bebê, pois ela normalmente apresenta uma aparência uniforme e macia. Todavia, hoje sabe-se que a barreira cutânea só se torna plenamente funcional a partir de um ano de idade. Isso faz com que a pele do bebê seja frágil e extremamente susceptível às agressões do meio externo.
Outro fator muito importante é o hábito do banho diário. Um simples banho só com água morna já é suficiente para retirar da pele o manto lipídico, camada fina composta por óleos responsáveis por manter naturalmente a hidratação e a barreira contra infecções cutâneas. Ao lavar o corpo, utilizar sabonetes e  esfregar a pele com uma esponja, muito da proteção natural se perde. Para prevenir que isso aconteça, é importante tomar banhos rápidos, com água morna e usar sabonetes neutros com pouco perfume e específicos para a pele infantil. Buchas e esponjas não são recomendadas. O momento depois do banho é o horário ideal para que a pele seja hidratada, pois há uma maior absorção de água e nutrientes pelas células cutâneas nos primeiros minutos após a limpeza. Além disso, ainda pode se tornar mais um momento especial de interação entre mãe e filho, exercido por uma suave massagem durante a  aplicação do hidratante. Procure escolher cremes ou loções também formulados para a pele infantil, com óleos naturais e de preferência sem álcool em sua formulação.
Imagens via

20 de setembro de 2013

Sejam Bem-vindos!


Olá queridos leitores!

Meu nome é Rafaela Salvato e sou médica dermatologista. Falar sobre pele é mais que o meu trabalho, é também minha paixão. Este blog foi criado para dividir com meus pacientes e também com o público em geral temas importantes na área da dermatologia clínica e estética. Com o avanço da Internet e a enorme quantidade de  sites disponíveis na rede, fica cada vez mais difícil saber onde buscar informações confiáveis sobre saúde.  Pensando nisso e também acompanhando as dúvidas que recebo por email e que ouço no consultório diariamente, é que o site surgiu. A ideia é tornar este canal um meio informativo e um acesso direto para trocarmos experiências. O blog em nada substitui a consulta médica, tão importante para que cada um tenha o seu diagnóstico correto e um tratamento individualizado, mas amplia o contato entre a gente.  Sejam bem-vindos e fiquem à vontade para sugerir temas ou tirar suas dúvidas. Espero que gostem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...