Google+

1 de novembro de 2013

O que é e como tratar a Acne



Um rosto com acne pode prejudicar não só a pele, mas principalmente a auto-estima! Cravos, espinhas, cistos, nódulos e cicatrizes formam o conjunto de manifestações que chamamos de acne. O maior responsável pelo aparecimento da acne é a glândula sebácea, que produz a oleosidade da pele. Durante a infância a glândula sebácea permanece inibida, pequena, e produz pouco ou nenhum sebo, razão pela qual as crianças apresentam uma pele mais lisa e homogênea.



A acne aparece com maior frequência no rosto, colo e dorso, onde o número de glândulas sebáceas é maior. Existem diferentes tipos de acne e a mais comum é a que se desenvolve durante a adolescência, devido às alterações hormonais. A alta destes hormônios provoca uma fabricação de óleo que, misturados às células mortas, obstrui os poros da pele. As bactérias podem crescer nessa mistura, causando inchaço, vermelhidão e pus. Deve-se considerar de suma importância também a tendência hereditária; isto significa que um jovem, cujo pai e mãe tiveram acne, tem maior chance de apresentá-la. No entanto, você pode ser o primeiro a ter espinhas em sua família, assim como todos os irmãos ou somente um deles pode apresentar pele acneica.



A acne pode apresentar graus variados, com maior ou menor inflamação, e sempre é mais grave quando apresenta cistos, nódulos e muitas lesões nas costas. A maioria dos casos de acne apresenta considerável melhora na segunda década da vida. Contudo, sempre há exceções: algumas pessoas continuam apresentando os sintomas durante a vida adulta, até cerca de 35 anos. Causas comuns para essa permanência na fase adulta são alterações hormonais, cosméticos, alimentação não balanceada, ingestão de medicamentos, etc. Falaremos mais sobre a acne do adulto em um próximo post.



Tratamentos da acne

Um péssimo hábito é o de espremer e cutucar as espinhas, que deve ser evitado, assim como o uso de produtos caseiros ou desconhecidos. Outro grande erro nos tratamentos para acne são as soluções milagrosas, que muitas vezes só pioram o quadro. Conforme o grau e a intensidade da acne, o tratamento pode ser apenas local, com medicações tópicas, dependendo de uma avaliação criteriosa do dermatologista. Casos mais graves podem ser tratados com medicamentos orais, peelings, LEDs, etc. Quando tratada a tempo, a acne não evolui para cicatrizes ou manchas na pele. Lembre-se, quando mais cedo iniciar o tratamento, melhor será o resultado. O adolescente já passa por várias mudanças, com uma autocrítica exacerbada e uma pele inflamada e marcada só pode prejudicá-lo do ponto de vista psicológico e social.

Imagens via
Dra. Rafaela Salvato, Dermatologista.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...