Google+

22 de julho de 2014

Preenchimento: Ácido Hialurônico

Muito comum nas fórmulas dos melhores cosméticos, o ácido hialurônico é mais do que um bom hidratante, ele é um ótimo aliado no tratamento de rugas e perda de volume facial.



Esse ácido é naturalmente encontrado em nosso organismo e tem a função de preencher aqueles espaços vazios entre uma célula e outra, dando a aparência de firmeza e viscosidade à pele. Com o tempo, gradativamente nossa pele vai perdendo essa tenacidade e vigor e então surgem as temidas rugas.

O ácido hialurônico é utilizado pela dermatologia principalmente para tratamentos do envelhecimento cutâneo. O produto pode ser utilizado tanto para corrigir ou preencher sulcos visíveis, assim como promover uma hidratação profunda e melhorar o volume facial. Importante, no entanto, ressaltar que o efeito do preenchimento com ácido hialurônico tem duração de aproximadamente um ano, sendo depois necessário novas aplicações.

A utilização do ácido hialurônico é muito comum para pés de galinha, bigode chinês e outros sulcos, preenchimento de rugas, aumento de lábios, etc. O ácido hialurônico é feito por meio da fermentação de bactérias ou retirado de outros animais. Veja aqui alguns benefícios:

Preenchimento dos lábios
Tem como efeito o aumento dos lábios, um contorno muito mais definido e a carne mais volumosa. O grande benefício do ácido hialurônico aqui é a maleabilidade do resultado, enquanto outros produtos deixam essa parte rígida.

Preenchimento de Rugas
Utiliza-se o ácido nos sulcos e com anestesia local. O procedimento é muito rápido e ajuda não somente a preencher as rugas, como também cicatrizes e no contorno do rosto.
Ele garante hidratação a região aplicada ao atrair umidade, o rejuvenescimento e a firmeza. O resultado é imediato, assim que termina o procedimento, você já nota a diferença, embora seja comum certo inchaço até 48 horas depois.


O preenchimento com ácido hialurônico deve ser somente feito por um especialista, seu uso indevido pode causar nódulos aparentes, perda da naturalidade e da expressão dos gestos. É comum que quando se use de forma exagerada, as bochechas fiquem proeminentes, como de bonecos, causando mal estar na pessoa e uma grande frustração.

Procure seu dermatologista e tire todas as suas dúvidas antes do procedimento, como é usada uma anestesia local, o procedimento não causa dor e tem muitos benefícios. A avaliação do especialista é necessária para que se determine os locais específicos em que ele deve ser usado e a quantidade, assim como a marca do produto.


Dra. Rafaela Salvato - Dermatologista

Prenchimento Ácido Hialurônico - Florianópolis


18 de julho de 2014

Peeling: Quando fazer?



Peeling vem do verbo To Peel, termo da língua inglesa que significa esfoliar ou descamar. Considerando que a pele é um órgão e que depende da renovação das células para manter sua boa aparência, o peeling ajuda a acelerar essa renovação, sendo um ótimo aliado em tratamentos de cicatrizes de acne, linhas de expressão e rugas, manchas escuras, sardas, estrias, entre outros.
O peeling é um tratamento dermatológico que utiliza substâncias químicas que ao entrarem em contato com a pele, removem as células mortas e a camada mais externa e estimulam, assim, a renovação celular.


O peeling não deve ser realizado em casa ou por uma pessoa sem formação adequada, pois quando mal empregado pode causar manchas, cicatrizes e inclusive piorar quadros dermatológicos pré-existentes.

Pacientes de pele morena ou negra devem ter cuidados redobrados com o peeling para evitar manchas. A pele deve ter um preparo mais cuidadoso e nem todos os ácidos podem ser empregados. Além disso, o pós-procedimento deve ser feito com um acompanhamento de perto e com maiores precauções. Pessoas de pele clara tem menores chances de sofrerem com manchas resultantes do procedimento, mas isso não significa que não precisem de cuidados e acompanhamento de um profissional capacitado.

Para iniciar o peeling, o rosto deve estar completamente limpo e sem gordura. O dermatologista irá avaliar a necessidade do tempo de ação do produto sobre sua pele de acordo com o tipo de pele, o tipo de queixa e a gravidade do problema.

O preparo antes do procedimento será indicado pelo seu dermatologista, em geral, é necessário que comece uma hidratação adequada da pele com pelo menos um mês de antecedência. Outros cuidados como fotoproteção são importantes também. Dependendo do caso, talvez seja necessário retirar manchas preexistentes.

Diversos tipos de ácidos são utilizados nos diferentes tipos de peelings. O peeling de ácido retinóico, por exemplo, é utilizado para eliminar sardas, manchas de acne, estrias, cicatrizes e manchas do sol. O ácido lático é usado para melhorar o aspecto da pele, devolvendo brilho, espessura adequada, vitalidade, além do clareamento de manchas. O ácido salicílico é mais indicado para a diminuição da oleosidade da pele, eliminar cravos ou clarear manchas mais superficiais. Já o ácido glicólico é usado para estrias, foto envelhecimento cutâneo, entre outros. As áreas mais comuns para o tratamento com o peeling são mãos, pernas, peito, pescoço, e principalmente, rosto, já que tem a capacidade de regeneração muito maior.

As sessões de peeling são geralmente mensais e o número de sessões depende da indicação e do grau de acometimento da pele. Procure sempre um dermatologista para avaliar corretamente o seu caso e buscar o tratamento adequado.

Peeling Florianópolis
Rafaela Salvato Dermatologia - Dermatologista

16 de julho de 2014

Tricologista: Essa especialidade existe?




Cada vez está mais comum o uso do termo tricologista entre alguns profissionais que atuam em diferentes áreas de tratamento dos cabelos. O termo tricologia vem do grego thricos (cabelo) e logia (estudo).
Entretanto, essa "especialidade" não é reconhecida como uma especialidade propriamente dita pelo Conselho Federal de Medicina. Segundo o CFM, o especialista capacitado para o tratamento do cabelo, que é um anexo da pele, deve ter recebido treinamento adequado também em doenças cutâneas. Ou seja, a especialidade reconhecida e que é melhor capacitada para o tratamento dos cabelos é o dermatologista.


Uma das principais queixas nos consultórios do médico dermatologista é a queda de cabelo, tanto no homem quanto na mulher. Diversas são as causas que levam à queda de cabelo e, por isso, o acompanhamento médico se faz de suma importância. Mais do que tentar remediar o problema, é preciso conhecer bem a causa, diagnosticá-la, tratá-la e assim garantir melhor auto-estima ao paciente.
O cabelo possui um ciclo natural de crescimento, estagnação e queda, é comum a perda média de 100 fios de cabelos por dia, o que promove uma renovação nos fios em média a cada 5 - 6 anos. A dermatologia entende que o cabelo, junto com sua "raiz" (folículo piloso) é composto por vasos, nervos, músculo e células germinativas, as quais tem a função de nutrir e ajudar no crescimento do fio. Ao perceber um problema, seja no crescimento, seja na queda, o dermatologista estará apto a diagnosticar corretamente a causa, solicitar exames laboratoriais complementares e buscar o melhor tratamento.


Outro fator que precisa de atenção é a alimentação. O cabelo é um anexo que rapidamente reflete as alterações metabólicas do nosso organismo. Uma carência nutricional pode alterar drasticamente a aparência e comprometer o ciclo de vida de um fio. É importante que se tenha sempre uma alimentação balanceada e ingerir água suficiente para o bom funcionamento dos órgãos.
O cabelo também reflete as alterações hormonais e doenças em outros órgãos. O dermatologista ao analisar os fatores desencadeados no fio, pedirá exames ou investigará as causas principais para o problema. É muito comum que mulheres comecem a perder cabelo com a aproximação da menopausa e é essencial o acompanhamento de um médico dermatologista especializado. Já no homem, a queda capilar é mais comum pela calvície padrão que podem tanto refletir alterações nutricionais, stress, intoxicação, etc.
Com os avanços da tricologia, hoje já é possível tratar essas disfunções e ajudar na melhora da auto-estima dos pacientes e no aumento da sua qualidade de vida. Sempre que notar qualquer alteração nos pêlos e cabelos, não busque apenas por um tricologista, consulte seu médico dermatologista especialista em cabelos, ele sim, será capaz de diagnosticar as causas e encontrar os melhores tratamentos.

Dra. Rafaela Salvato - Médica Dermatologista
CRM 14282
Registro de Qualificação de Especialidade 10934

10 de julho de 2014

Dermatologista São José Santa Catarina

Rafaela Salvato Dermatologia São José - Dermatologista em São José - Santa Catarina.

Dermatologia Clínica, Estética e Cirúrgica. Oferece tratamentos para cabelo Pele e Unha, Queda de Cabelo, câncer de pele, Manchas na Pele, dermatite, estética, pele, foliculite, acne, rejuvenescimento, micose, quelóides, vitiligo, cirurgias, peeling químico, aplicação de botox, Preenchimentos, olheiras, Remoção de Tatuagem, Laser de CO2, Spectra e Rejuvenecimento. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Dra. Rafaela Salvato

3 de julho de 2014

Melasma: Sintomas e Tratamento




Melasma se caracteriza pelo aparecimento de manchas escuras na pele, principalmente no rosto, sendo também recorrentes nos braços e colos. A grande maioria dos pacientes são mulheres e está relacionado ao uso de anticoncepcionais, gravidez e exposição ao sol sem proteção adequada.Outros fatores decisivos para o aparecimento do melasma são a predisposição genética e o histórico familiar. A principal característica são manchas escuras ou acastanhadas, principalmente nas maçãs do rosto, testa, nariz, no buço, dentre outras partes.
É importante ressaltar que o aparecimento de tais manchas não está relacionado a depilação com cera ou uso de cosméticos, como muitos acreditam. O seu dermatologista avaliará as possíveis causas que determinaram o surgimento, de acordo com o seu histórico familiar, o uso de medicação contraceptiva, gravidez, etc.



Ao diagnosticar a presença de melasma, o dermatologista indicará os tratamentos mais adequados, além dos procedimentos de proteção, tais como o uso de filtro solar com proteção adequada, medicamentos tópicos e melhores técnicas para o clareamento. Não basta apenas clarear as manchas já instaladas, é preciso tomar atitudes de prevenção para que o pigmento não volte.
O primeiro passo é a fotoproteção, isto é, a proteção contra os raios solares. É de suma importância que o paciente utilize um bom filtro solar, com FPS 30 no mínimo. Na hora de escolher o seu filtro, leia o rótulo e procure por produtos que ofereçam proteção também contra os raios ultravioleta A e B, ele deve indicar UVA e UVB.


Para ajudar na recuperação da auto-estima do paciente, são utilizados cremes com propósito de clareamento das manchas acastanhadas ou marrons do melasma. Os principais compostos são hidroquinona, ácido glicólico, ácido kójico e ácido azeláico. O uso deve ser feito de forma constante, como indicado pelo dermatologista, por meses ou anos.
Outro tratamento é o peeling, que ajuda a clarear a pele gradualmente e tem resultados geralmente melhores do que os cremes. Ainda são sugeridos os tratamentos a base de Laser e de Luz Intensa Pulsada (LIP), ambos são energia luminosa que atuam no clareamento.
Todos estes tratamentos mencionados aqui só podem ser realizados junto ao especialista, todo cuidado é necessário para que ao invés de clarear, tais tratamentos não gerem mais pigmentação ou comprometa de alguma forma a saúde do paciente. Assim que notar as primeiras manchas, procure o seu dermatologista e ele fará o diagnóstico do melasma.

Dra. Rafaela Salvato - Dermatologista 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...