Google+

1 de dezembro de 2014

Oncologia Cutânea


Um recente estudo publicado por um órgão de pesquisa da Noruega indicou que 78% das pessoas possuem dificuldade para fazer um planejamento futuro, que envolva ações que ela precisa estabelecer dentro de um prazo relativamente curto, de um ano.
Ou seja: o ser humano (não todos, claro) é movido por uma ação muito comum, que pode ser observada em pessoas de qualquer país, raça, credo ou classe social. Ficou curioso, não? Pois bem, o que sempre move as pessoas é o chamado “desespero de última hora”.
Isso significa que apenas quando a situação já está bem avançada ou grave é que as pessoas vão começar a se movimentar para tentar correr atrás do tempo perdido e fazer o que precisa ser feito. É assim, por exemplo, com trabalhos da escola: a maioria das crianças deixa para realizar a tarefa quando a data da entrega já está muito próxima.
Também observamos esse comportamento em escritórios: quem nunca se surpreendeu com o próprio potencial ao escrever, em um período muito curto de tempo, todo o relatório cujo prazo estava estourando? E isso acontece até no campo dos esportes, onde a disciplina deveria reinar: muitos times começam de fato a se empenhar no treinamento quando enxergam que o campeonato está bem próximo de começar.

Esse problema se estende à área da saúde também. Muitas pessoas passam a procurar se cuidar mais quando a saúde já está comprometida. Você, com certeza, conhece algum caso de uma pessoa que decidiu parar de fumar apenas quando os pulmões já estavam em estado crítico. Ou aquela pessoa que decidiu finalmente entrar em um regime, após quase enfartar ou desmaiar, por causa da pressão alta.
A dica que damos é: prevenção. E estamos falando em prevenção porque o artigo de hoje fala sobre Oncologia cutânea. Esse termo refere-se a uma doença muito comum, caso você não tenha percebido. Estamos falando do câncer de pele.
A boa notícia é que os pesquisadores sempre se preparam para o pior cenário possível, por isso eles estão à frente de curas e tratamentos que surpreendem sempre médicos e pacientes. Dizemos isso porque a Oncologia cutânea pode ser tratada sem grandes complicações, já que quanto mais cedo é diagnosticada, maiores as chances de sucesso na cura.

Para diagnosticar corretamente a Oncologia cutânea é necessário conhecimento médico aprofundado. No entanto, vale sempre ficar atento aos sintomas, como aquela mancha de cor escura, que apresenta bordas que não são definidas. O segredo aqui é não se desesperar e consultar seu dermatologista regularmente.

Por fim, vale lembrar: qualquer pessoa pode desenvolver Oncologia cutânea (câncer de pele). No entanto, a doença é mais frequente a quem fica exposto muitas horas ao sol, sem a proteção adequada, como acontece com agricultores e pescadores, por exemplo. Nossa dica então é simples: previna-se e use protetor solar, não deixando de ir ao médico regularmente. Lembre-se de que a prevenção pode ser sua melhor amiga e salvadora, quando falamos de Oncologia cutânea.

Dra. Rafaela Salvato Dermatologista em Florianópolis - Oncologia cutânea
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...